Festival inédito premia paródias e

arrecada fundos para cultura

 

“Hoje Eu Vou Parodiar” oferece até R$ 2.000,00 em prêmios.

Arrecadação será destinada a artistas e profissionais da cultura em situação vulnerável

Em tempos de pandemia, as paródias musicais se tornaram sensação nas redes sociais. Quem nunca se divertiu ao ouvir uma nova versão de um sucesso consagrado, pincelando com humor os temas da atualidade? A fim de estimular a criatividade, tanto em compositores profissionais como em músicos amadores, ou mesmo em aventureiros, o Festival “Hoje Eu Vou Parodiar” vai premiar imitações inéditas de canções famosas, sempre em tom jocoso ou satírico.

A iniciativa é do compositor e roteirista Edu Krieger e da empresária e produtora cultural Danusa Carvalho. Os prêmios são de R$ 2.000,00 para o primeiro lugar, R$ 1.500,00 para o segundo e R$ 1.000,00 para o terceiro. A taxa de inscrição é de R$ 15,00. Os recursos arrecadados serão revertidos para compra e distribuição de cestas básicas, incluindo kits de higiene e limpeza, a artistas, técnicos e demais profissionais da cultura em situação de vulnerabilidade. A distribuição será feita por meio da Associação Cultural Arebeldia. A meta é distribuir nas cidades de Belo Horizonte e Rio de Janeiro.

A Ação da Cidadania, baseada no Rio de Janeiro, é parceira da Arebeldia, de Belo Horizonte. Juntas, as ONGs já distribuíram mais de 13.000 cestas e kits desde o início da quarentena, além de 2.000 livros, um material distribuído para pessoas em situação de risco na capital mineira. São um total de 390 toneladas de alimentos.

 

“Durante a quarentena, comecei a postar várias paródias em minhas redes sociais, e percebi que existe nesse formato uma identificação imediata com o público, que sempre reverbera, compartilha e comenta com entusiasmo”, assinala Krieger. “Em tempos difíceis, viemos fortalecer a luta a favor da criatividade, do amor, do protesto com respeito. Isto é: valorizar quem sabe abordar assuntos sérios de forma leve e engraçada, e que nos transporta para alguns segundos de alegria, incentivando a seguir adiante”, completa Danusa. Os premiados receberão ainda um troféu e uma gravação de qualidade para divulgação, produzida por alguns dos membros jurados.

 

Tema livre, sem preconceitos

 

As paródias devem ser de sucessos da música popular. O tema é livre. Mas o regulamento prevê desclassificação automática de qualquer teor preconceituoso. Os jurados querem distância dos velhos caminhos que, por décadas, optaram em rir das minorias. “A paródia pode ser politicamente correta e ao mesmo tempo engraçada? Estou convencido de que sim”, resume Krieger. As críticas à política, o cotidiano da quarentena, as questões contraditórias da atualidade e a desconstrução dos olhares machistas, homofóbicos e racistas são, é claro, muito bem-vindas.

 

“Com esse Festival, queremos proporcionar um momento mais descontraído nessa pandemia, e ao mesmo tempo valorizar um segmento de música que tem ocupado cada vez mais espaço nas mídias, e que já é, de longa data, uma tradição brasileira. Além disso, vamos apoiar profissionais da cultura que vão ficar um bom tempo ainda sem trabalho”, enfatiza Danusa Carvalho. “Não foi uma ideia que surgiu por um acaso. É resultado de mais de 20 anos de amizade com o querido Edu Krieger”, completa a idealizadora.

 

Os presidentes de honra do Festival são Marcelo Adnet e Tatá Werneck. Já o corpo do júri é formado por músicos, cantores, roteiristas, atores e cineastas. São eles: Edu Krieger (presidente), João Cavalcanti, Julia Rabello, Késia Estácio, Leonardo Lanna, Marco Gonçalves, Marcos Frederico, Maria Bopp, Renata Corrêa, Thiago de Souza e Vicente Coelho. Todos os participantes da seleção abriram mão de qualquer remuneração, reforçando o caráter beneficente do Festival.

 

As inscrições vão até 15 de julho, pelo site www.hojeeuvouparodiar.com.br. O resultado será divulgado entre os dias 10 e 20 de agosto. O título do Festival “Hoje Eu Vou Parodiar” é uma alusão à música “Hoje eu vou pagodear”, sucesso lançado nos anos 1990 pelo grupo Cem por Cento.

Realização

Casulo Cultura

Idealização

Danusa Carvalho e Edu Krieger

Coordenação de Produção 

Danusa Carvalho

Produção Executiva 

Fernando Gasparini

Designer Gráfico e Mídias sociais

Natalia Voss

Casulo Cultura Ltda | CNPJ. 09.066.850/0001-67

Rua Cristina, 292 -Sion - Belo Horizonte/MG

Regulamento do Festival

© 2020 por Natalia Voss - Hoje eu vou parodiar